ALIMENTAÇÃO para REPRODUTORES

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

ALIMENTAÇÃO para REPRODUTORES

Mensagem por Sidney nazar (Admin) em Seg Out 14, 2013 9:11 am

ESQUEMA DE ALIMENTAÇÃO PARA OS REPRODUTORES

Quatro semanas antes do acasalamento (a chamada fase do "ardor sexual"), os pombos reprodutores devem ser alimentados com uma ração com um teor em proteínas igual a 18%. Para tal, recomenda-se uma ração que inclua leguminosas (ervilhas, ervilhacas, favinhas ou feverois) e se  desejarem um granulado extrusionado á base de proteínas de origem animal e vegetal. As rações com elevado teor de proteínas são frequentemente utilizadas na dieta dos borrachos, devendo ser colocadas á sua inteira disposição. As rações de cereais devem ser administradas uma a duas vezes por dia. No que diz respeito aos suplementos de minerais (sobretudo de cálcio), há que referir que estes são particularmente importantes para os reprodutores, pelo que se recomenda a administração  de um bom grit.
As vitaminas podem ser administradas juntamente com a ração ou misturadas na agua , uma a duas vezes por semana.

ESQUEMA DE ALIMENTAÇÃO PARA O CRESCIMENTO




Até aos quatro meses de idade, os borrachos devem ser alimentados com uma ração cujo teor em proteínas seja na ordem dos 18%. Os pombos no período de pós -desmame são normalmente alimentados com uma ração á base de ervilhas e granulado (colcado á livre disposição) . As rações de cereais devem ser administradas uma a duas vezes por dia. Os suplementos minerais e o grit são colocados no respectivo comedouro, ficando á livre disposição dos pombos, ao passo que as vitaminas podem ser misturadas na ração ou na água, uma a duas vezes por semana.

ESQUEMA DE ALIMENTAÇÃO PARA O INVERNO (OU DESCANSO)

Durante este período os pombos devem ser alimentados com uma ração á base de cereais e ervilhas, com um teor de proteínas entre os 11% e os 14%. È frequente aumentar a quantidade de milho e de cevada durante os meses mais frios. A cevada é uma excelente opção alimentar para o período de inverno, na medida em que é bastante rica em fibras e hidratos de carbono, nutrientes que permitem que os pombos se mantenham em pefeitas condições físicas, sem , no entanto, ficarem gordos (obesos).Por sua vez, o milho é uma boa fonte de hidratos de carbono, embora o seu teor de lípidos (gordura)seja superior ao do sorgo,do milho alvo e da cevada. Relativamente aos custos com uma alimentação á base destes dois tipos de cereais, há que referir que são práticamente nulos, uma vez quer o milho, quer a cevada são bastante baratos. Também durante este período devem ser administrados grits e suplementos minerais (colocados sempre á livre disposição), dev endo as vitaminas ser administradas uma a duas vezes por semana.

ESQUEMA DE ALIMENTAÇÃO ÉPOCA DOS CONCURSOS

A ração mais adequada para os pombos voadores deve conter um teor em proteínas entre os 12 e os 14%.Os músculos dos pombos são constítuidos por fibras musculares lisas (brancas) e estriadas(vermelhas) , com predomínio destas últimas. As fibras lisas (brancas) são responsáveis pelos voos e movimentos rápidos e de grande intensidade ( a famosa finta chiclete, muito falada aki no grupo), ao passo que as estriadas(vermelhas)  permitem aguentar esforços continuados. Enquanto que a principal fonte de energia das fibras lisas é o glicogénio , as estriadas vão buscar o seu "combustível" aos lípidos (gordura). Daqui se conclui que os lípidos são a  fonte de energia mais importante para os pombos voadores. A capacidade das aves para armazenar as gorduras (triglicéridos)( que, assim, permanecem como reserva de energia) é superior á de todos os outro vertebrados. Ao nível do organismo, é no fígado que se inicia o processo de produção de gordura, cabendo a este orgão a produção da maior parte da gordura presente nos músculos e do seu armazenamento de reserva. Os procedimentos a adoptar em termos de alimentação ideal visam, sobretudo, uma optimização da produção de gordura no fígado e das fontes musculares de gordura.
A experiência tem demonstrado que a inclusão na dieta alimentar dos pombos de alimentos com alto teor de gordura (até 20%), como sejam os amendoins, o cártamo, o cânhamo, a linhaça,e  o girassol ( com pele ou sem pele) parece melhorara o desempenho, sobretudo no caso de voos mais longos (superiores a 320 km ). No entanto, é importante não esquecer que uma alimentação rica em gorduras provoca uma diminuição da produção de gordura no fígado, a não ser que os níveis de hidratos de carbono se mantenham constantes.
A frutose (ou a glucose) é absorvida rápidamente, sendo, de seguida, metabolizada pelo figado, num processo, também ele, bastante rápido. Na verdade, este processo de conversão de frutose em gordura conta com uma elevada prioridade em termos metabólicos. Misturar frutose na água, por exemplo, pode ser uma forma rápida de restabelecer as reservas de gordura.
É prática comum de muitos columbófilos adicionar á dieta alimentar dos seus pombos voadores uma fonte de frutose ( como por exemplo, o "Gatorade"), para diminuir o período de recuperação e preparar os pombos para novos concursos.
A experiência tem vindo a demonstrar que a toma de uma refeição ( por oposição á ração colocada á livre disposição dos pombos) parece provocar um aumento da produção de gordura. A opção por este tipo de procedimento  também permite ao columbófilo exercer um maior controle sobre os seus pombos, na medida em que se torna mais fácil faser com  que os pombos entrem no pombal rápidamente.
Durante a época dos concursos, sobretudo ao longo da semana que medeia os concursos, alguns columbófilos optam por seguir um esquema alimentar que preconiza a administração de rações leves (ou lights) e de outras mais "pesadas" (também ditas "consistentes").
Leves = pobres em proteínas, gorduras e hidratos de carbono (cevada, trigo, arroz, milho miúdo, sorgo)
Pesadas =ricas em gorduras e hidratos de carbono (cártamo, amendoins, ervilhas, girassol, milho, ervilhaca, feverol).
È fundamental manter o correcto equilíbrio entre estes dois tipos de alimentação, pois só assim será possível garantir a criação de reservas em quantidade suficiente, sem no entanto,  provocar obesidade nos pombos. No início da semana deve ser colocado á disposição um suplemento de grit. Relativamente ás vitaminas , devem ser administradas uma a duas vezes por semana.

ESQUEMA DE ALIMENTAÇÃO PARA A MUDA

Durante a época da muda a alimentação dos pombos deve assentar numa ração com um teor de proteínas entre os 16 e os 18%. A muda das penas do corpo ocorre no final do Verão/início do Outono. Por sua vez, a muda das penas das asas começa no final da Primaverae prolonga-se até ao início do Outono. Para melhorar a qualidade das penas (arginina, metionina, vitaminas lipossolúveis, ácidos gordos, ácido linoleico?), nada melhor que adicionar á ração normal sementes ricas em gordura, como, por exemplo, linhaça, cânhamo,cártamo e girassol. Adicionar cevada também parece uma medida eficaz para melhorar a qualidade das penas (cistina?). As proteínas de origem animal fornecem elevados níveis de arginina, glicina, lisina e metionina, aminoácidos absolutamente indispensáveis para a produção de uma penugem saudável. Deve colocar-se á livre disposição dos pombos grit, e admnistrar vitaminas uma a duas vezes por semana.

CURIOSIDADES

Enquanto que alguns columbófilos defendem acirradamente a inclusão de legumes na dieta alimentar dos seus pombos, outros há que nem sequer querem ouvir falar dessa hipótese. No entanto, convém não esquecer que os legumes são muito ricos em microminerais, vitaminas e outros nutrientes indispensáveis ao bom funcionamentodo organismo. Os vegetais de folhas verdes, assim como as rações extrusionadas de alfafa (principal componente dos granulados para coelhos), são uma boa fonte desses nutrientes.
Também o alho é um suplemento utilizado com bastante frequência na dieta alimentar dos pombos. Tendo como principal ingrediente activo o allicium,o alho possui propriedades antibaterianas, pelo que pode ser extremamente útil para ajudar o organismo a eliminar substãncias nocivas. Para além disso , também é rico em microminerais, selénio e germânio elementos que possuem a capacidade de estimular o sistema imunitário. Embora ainda não existam provas concretas, pensa-se que o alho permite melhorar o desempenho e as condições físicas em geral, pelo que pode ser um suplemento bastante benéfico.
Podemos considerar como boas fontes de frutose os sumos de fruta, o açúcar, o mel , e o Gatorade. Devem ser administrados logo após um concurso, de modo a que as reservas de gordura possam ser rápidamente restabelecidas. O seu consumo excessivo pode provocar um crescimento anormal.
A levedura de cerveja é uma excelente fonte de Vitaminas do grupo B e de aminoácidos, pelo que é muita utilizada como suplemento alimentar.

Saudações columbófilas

Alberto Formigal
avatar
Sidney nazar (Admin)
Admin

Mensagens : 148
Data de inscrição : 05/10/2013
Idade : 34
Localização : Belo Horizonte -MG- Brasil

Ver perfil do usuário http://columbofiliaforever.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo

- Tópicos similares

 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum